Um sentimento chamado inveja

  • 0
inveja

Um sentimento chamado inveja

A inveja é um sentimento intrigante. Apesar de todos nós o experimentarmos, ninguém gosta de reconhecer quando o está sentindo. Afinal, é um sentimento controverso: indica que algo positivo desperta algo negativo.

 A inveja é um sentimento que se firma na formação do caráter da pessoa, ou seja, desde a concepção do feto até os 7 anos de idade, quando a personalidade da criança está formada. Ela surge do sentimento de que somos incapazes de viver nossos próprios sonhos, de alcançar nossas metas e realizarmo-nos. Por isso, o exemplo daqueles que realizaram algo nos faz lembrar aquilo que não fomos capazes de fazer. No entanto, muitas vezes a sensação de incapacidade, a matriz da inveja, deve-se a escolha inadequadas de metas, como desejar algo que não está ao nosso alcance. Em geral, costumamos não valorizar as coisas que já realizamos e assim cultivamos a sensação de desvalia sem nos darmos conta do nosso próprio valor. Neste sentido, a inveja consome o invejoso, porque o faz dar valor apenas ao que está além de seu alcance.

A inveja é um dos sentimentos mais difíceis de serem aceitos pelo ser humano, pois na maioria das vezes é inconsciente. Isso ocorre porque ela se forma muito cedo em nossa vida. A inveja é um sentimento primitivo e pouco elaborado. Ela está baseada no sentimento de inferioridade, adquirido pela comparação que se faz com outra pessoa em algum aspecto específico.

Assim como escreve Elisa Cintra em Melanie klein Estilo e Pensamento (Ed. Escuta): “Quem desdenha quer comprar”, diz o ditado: a inveja é quase sempre detectável na vida cotidiana por esse trabalho de desvalorizacao do outro, o que também foi narrado pela fábula da raposa e das uvas. Impossibilitada de ter acesso as uvas, a raposa começou a tecer considerações sobre a falta de valor dos frutos, o fato de estarem verdes….A ideia de “frutos” permite que se lembre a inveja da obra do outro, de suas ideias e de seu trabalho.

 A base da inveja é supervalorizar os outros (que podem, segundo a fantasia do invejoso, fazer tudo) e esvaziar a si mesmo (que é inferior porque nao pode fazer nada. Assim, nasce o desejo de esvaziar o outro para que tudo fique igual e ele não fique só.

Numa luta secreta e constante, aquele que se sente insuficiente tenta esconder sua vergonha de ser incapaz. Assim, procurando evitar qualquer situação que o faça sentir humilhado, ele ataca antes de ser atacado. Isto é, ele compete sozinho. A competição é um hábito do invejoso, pois ele tem dificuldade de receber ajuda, fazer junto e cooperar.

O Novo Dicionário Aurélio explica: “Inveja é o desgosto ou pesar pelo bem ou felicidade de outrem. Um desejo violento de possuir o bem alheio.”. Já o Dicionário de Psicologia Dorsch esclarece: “A inveja pertence aos sentimentos intencionais. É uma insatisfação, o aborrecimento com a alegria do outro”. Portanto, aquilo que é invejavél é encarado como algo de muito valor.

Existe também um sentimento chamado admiração. Neste, não existe ódio nem raiva. A palavra admirar vem do latim e que quer dizer olhar para, dirigir, direcionar o olhar para algo que nos chama a atenção ou surpreende. Admirar algo ou alguém é olhar para este objeto ou pessoa com olhos maravilhados. Alguns invejosos tentam se passar por admiradores, usando a expressão “inveja branca”, mas a inveja faz mal para os dois lados: é um sentimento intoxicante, um pequeno furto de energia. Já na admiração, você apenas celebra o que o outro é ou tem, sem querer pra si. Existe também o recalque, que é uma evolução da inveja. É uma inveja ousada, que provoca. E tudo o que a pessoa não tem, não pode e nunca será acaba sendo desprezado, zombado, humilhado e destruído.

Este mal pode ser vencido em nós, quando é identificado e tomamos posição contraria a ele! É muito fácil identificá-lo no outro, que em nós mesmos!

Como muitos outros sentimentos, temos que reconhecê-lo e aceitá -lo, porém temos que canalizá-lo de forma positiva, pois os desejos que podem despertar a inveja podem ser um bom motor para procurarmos a nossa própria felicidade.

Pensem nisso!

Referência:

1- Afinal, o que é a inveja?

http://somostodosum.ig.com.br/artigos/espiritualidade/afinal-o-que-e-a-inveja-4605.html

Psicóloga e terapeuta experiente, especializada em Terceira e Quarta Idades. Em constante aprimoramento teórico e com participação ativa em Grupos de Estudos, Simpósios e Congressos. Preparada para tratar depressão, ansiedade, síndrome do pânico, Alzheimer e conflitos de ordem pessoal, familiar, profissional e conjugal.


About Author

Flavia Merschmann

Psicóloga e terapeuta experiente, especializada em Terceira e Quarta Idades. Em constante aprimoramento teórico e com participação ativa em Grupos de Estudos, Simpósios e Congressos. Preparada para tratar depressão, ansiedade, síndrome do pânico, Alzheimer e conflitos de ordem pessoal, familiar, profissional e conjugal.

Leave a Reply

Agende a sua pré-sessão gratuita. Atendemos à domicílio, online e em consultório. Clique em agendar e envie sua solicitação.